Terça-feira, 20 de Novembro de 2012

Rio lança suspeita de interesses escondidos na Segurança Social

Rui Rio sublinhou ontem que "um poder político desacreditado" está mais vulnerável à influência de interesses privados.

O presidente da Câmara do Porto contou ontem - num colóquio da Faculdade de Economia do Porto sobre "O Estado social ao Estado liberal" - que, em determinada altura da sua vida política, esteve envolvido no estudo de uma reforma da segurança social. Esse esqueleto de reforma nunca chegou a sair do papel. Os motivos? "Nunca os direi, pelo menos enquanto as pessoas envolvidas estiverem vivas".

Nunca se referindo ao que estava em causa nem aos contornos do caso, Rio afirmou apenas que, "se os portugueses soubessem o que se passou" teriam ainda mais motivos que os que já lhes assistem para desconfiarem do papel dos políticos no desenrolar da vida do país. "As pessoas ficariam abismadas", conclui, para não mais se referir ao assunto.

Já antes, na sua intervenção inicial, Rio tinha afirmado que "Temos uma crescente incapacidade política para resolvermos os problemas que temos à frente. E um poder político desacreditado e interesses corporativos mais fortes e capazes de influenciar" a vida de todos, colocando interesses particulares à frente do interesse público.

 

Por António Freitas de Sousa

In Económico

 

publicado por portuga-coruche às 07:07
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 7 de Novembro de 2011

Coruche: População de Couço manifesta-se contra "retirada e redução dos serviços públicos"

A população da freguesia de Couço, concelho de Coruche, exigiu hoje a reabertura dos serviços da Segurança Social, o regresso dos CTT ao domínio público e o prolongamento do horário de atendimento no centro de saúde.

Reivindicações feitas no final de um cordão humano realizado esta manhã, que ligou os locais públicos da freguesia, em protesto contra a retirada, redução ou descaracterização dos serviços públicos fundamentais.

"A iniciativa foi muito participativa e contou com a presença de mais de uma centena de pessoas que se manifestaram em defesa dos serviços públicos que têm vindo a ser retirados, reduzidos ou descaraterizados", disse à Lusa Ortelinda Graça, da Comissão de Utentes dos Serviços Públicos da Freguesia do Couço (CUSPFC).

 

 

 Por Lusa - Esta notícia foi escrita nos termos do Acordo Ortográfico

in Visão

 

 

publicado por portuga-coruche às 07:00
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 25 de Janeiro de 2011

Coruche: PCP questiona Governo sobre apoio a construção de lar

O deputado comunista eleito pelo círculo de Santarém, António Filipe, questionou o Governo sobre as obras para construção de um lar de idosos, promovidas pelo Associação de Solidariedade Social de S. José da Lamarosa, em Coruche, e que estão paralisadas há cinco anos.

 

Sublinhando que o lançamento da primeira pedra contou com a presença de membros do Governo, com a promessa de apoios para a conclusão da obra, de “reconhecida importância para a comunidade local”, o deputado afirma que os “prometidos apoios nunca se concretizaram”, tendo, pelo contrário, sido recusados pela Segurança Social “com base num parecer repleto de equívocos e erros de facto sobre a natureza do projeto em causa”.

 

Segundo a agência Lusa, para concluir o lar e evitar a degradação que começa a sofrer, a associação candidatou o projeto a apoios comunitários. António Filipe questiona o Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social sobre a situação da candidatura apresentada à Comissão de Coordenação Regional do Alentejo a fundos do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).

 

in Rádio Pernes

publicado por portuga-coruche às 07:25
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 21 de Janeiro de 2011

Doentes que mal podem andar têm que ir aos hospitais de transportes públicos

 

 

Silvina Francisco, de Azambuja, contava até há pouco tempo com a ajuda dos bombeiros para sair de casa porque tem dificuldade em andar por causa da artrite reumatóide de que sofre há uns anos. Com as novas regras de transporte de doentes pelos bombeiros, a doente viu recusada o serviçoe tem que recorrer aos transportes públicos. Como não tem dinheiro para pagar a viagem de ambulância e o marido está quase cego e não a pode ajudar, Silvina tem faltado às consultas de fisioterapia marcadas no Hospital Garcia de Orta, em Almada.

 

As novas regras entraram em vigor no inicio deste ano e vêm acabar com o transporte gratuito para doentes não urgentes com rendimentos superiores ao ordenado mínimo. Os bombeiros de Azambuja cobram sete euros por uma distância inferior a 12 quilómetros. Para distâncias superiores acresce 50 cêntimos quilómetro mais cinco euros por cada hora de espera além de uma hora. Curiosamente estes valores são superiores aos que são cobrados ao Estado para o mesmo tipo de serviço.

 

in O Mirante

 

 

 

 

publicado por portuga-coruche às 07:15
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 20 de Dezembro de 2010

População do Couço subscreve abaixo-assinado contra encerramento de balcão da Segurança Social

Um abaixo-assinado com 824 assinaturas promovido na freguesia do Couço, concelho de Coruche, dia 2 de Dezembro, contra o encerramento do balcão de atendimento da Segurança Social foi enviado ao Instituto da Segurança Social, aos grupos parlamentares na Assembleia da República e ao presidente da Assembleia da República.

O executivo da Junta do Couço decidiu aprovar uma deliberação na qual se manifesta contra o encerramento daquele posto, devido à falta de substituição do funcionário que se aposentou. O posto funcionou durante várias décadas nas instalações da Casa do Povo.

“O encerramento, ainda que temporário, deste serviço público vem acarretar dificuldades acrescidas a toda a população, nomeadamente aos empresários e aos desempregados. O serviço da Segurança Social mais próximo é em Coruche que dista a mais de cinquenta quilómetros, acarretando despesas acrescidas sobretudo aos desempregados que quinzenalmente se têm que apresentar”, pode ler-se no comunicado da junta de freguesia.

Na petição reclama-se que as entidades competentes da Segurança Social reponham a situação de abertura do posto de atendimento do Couço, e que a Assembleia da República corrija “a orientação cega de encerramento de serviços públicos essenciais à vida das populações”.

 

 

in O Mirante

 

 

publicado por portuga-coruche às 07:00
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 24 de Setembro de 2010

Segurança Social está a encerrar balcões de atendimento por todo o distrito

 

O Centro Distrital de Segurança Social de Santarém tem ignorado todos os pedidos de informação e esclarecimentos que lhe têm sido dirigidos

A Segurança Social está a encerrar uma parte dos 36 balcões de atendimento permanente que tem espalhados por todo o distrito, mas ainda não anunciou em concreto quais os que vão fechar portas.

A falta de informações oficiais sobre este processo está a provocar grande apreensão em Câmaras Municipais, Juntas de Freguesia e nas populações afectadas, que estão obviamente contra o encerramento dos serviços locais.

A 30 de Agosto de 2010, o nosso jornal solicitou via e-mail esclarecimentos sobre este assunto ao Centro Distrital de Segurança Social de Santarém (CDSSS), mas o organismo presidido por Anabela Santos Rato não enviou qualquer resposta até à data.

Questionámos em concreto que balcões já fecharam ao público, quais vão ser encerrados e quais os motivos que justificam esta reorganização da rede de serviços, e aguardamos pelas explicações.

No concelho de Ourém, os balcões de Caxarias e Freixianda foram encerrados há meses sem aviso prévio, mas vão reabrir em breve porque a Câmara Municipal vai colocar funcionários do município a assegurar o seu funcionamento.

O presidente da autarquia, Paulo Fonseca, explicou ao nosso jornal que, quando foi informado do fecho dos balcões, solicitou uma reunião ao Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social, onde deixou a proposta para que fosse a Câmara a responsabilizar-se pelo serviço, mediante delegação de competências.

“A proposta já foi genericamente aceite, e falta discutir apenas algumas condições e dar formação aos funcionários”, explicou Paulo Fonseca, acrescentando não poder aceitar “que o segundo maior concelho do distrito tenha apenas uma técnica da Segurança Social e ainda por cima seja confrontado com o encerramento de serviços”.

Já o balcão de Alcanede encontra-se “encerrado temporariamente” desde o passado mês de Abril, altura em que a única funcionária foi deslocalizada para Santarém, alegadamente para substituir uma colega que estaria de baixa.

 

O balcão de atendimento permanente de Alcanede encerrou "temporariamente" no passado mês de Abril

Quase seis meses depois, a técnica ainda não regressou e os utentes têm sido obrigados a deslocar-se à capital do concelho, que se situa a 26 quilómetros, ou a Rio Maior e Alcanena para tratar dos seus assuntos.

Entre a população, cresce a desconfiança que o balcão já não voltará a funcionar.

Segundo conseguimos apurar, vários moradores já contactaram o CDSSS via e-mail e até por carta registada, mas também não obtiveram qualquer resposta.

No concelho de Salvaterra de Magos, o encerramento do balcão de Marinhais já deu origem a duas moções de contestação aprovadas por unanimidade, uma pela Câmara Municipal a 17 de Agosto, e outra pela Junta de Freguesia de Marinhais a 13 de Setembro.

Segundo este documento, o encerramento do balcão “deixou surpresos todos os autarcas do município”, para quem “não é aceitável acabar com um serviço que serve grande parte da população do concelho”, concretamente das freguesias de Marinhais, Muge, Glória do Ribatejo e Granho.

O executivo da Junta acrescenta ainda ser inaceitável que “o encerramento tenha sido feito sem qualquer possibilidade de diálogo” e pede que seja encontrada uma alternativa “para não prejudicar a população que necessita do serviço”

A estes exemplos, somam-se os balcões de Riachos, no concelho de Torres Novas, e Minde, Alcanena, que foram também já encerrados.

 

in O Ribatejo

 

 

publicado por portuga-coruche às 07:07
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 3 de Fevereiro de 2010

Crianças de Foros de Salvaterra podem estar a ser vítimas do excesso de poder das CPCJ

 

foto

Casos como o das crianças retiradas à família em Foros de Salvaterra há um ano e meio e que continuam numa instituição à guarda do Estado, poderiam ter outro desfecho se as Comissões de Protecção de Crianças e Jovens (CPCJ) não tivessem total autonomia, como acontece actualmente. O ex-deputado social-democrata, António Campos, que foi Director do Centro Distrital de Solidariedade e Segurança Social de Santarém entre Setembro de 2002 e Maio de 2005, defende que o actual modelo de funcionamento daquelas Comissões, que funcionam a nível concelhio, deveria ser revisto e que deveria ser criada uma estrutura intermédia, onde as suas decisões pudessem ser melhor analisadas.

 

No caso das crianças de Foros de Salvaterra, as pessoas que lidavam com as crianças e conheciam a família não percebem porque foram as mesmas enviadas para uma instituição e desconfiam que possa existir animosidade da parte da técnica e presidente da CPCJ de Salvaterra de Magos relativamente à mãe das crianças uma vez que, após a comunidade ter construído e mobilado uma casa para que as crianças pudessem ser entregues, ela deu parecer negativo evitando que isso se concretizasse.

 

“Principalmente nos meios pequenos há uma tendência para as questões serem pessoalizadas em desfavor de uma análise dos casos mais técnica e distante”, disse a O MIRANTE o ex-deputado do PSD, que realça o facto de ser raro o envolvimento dos cidadãos àquele nível, a favor das famílias a quem são retiradas crianças. “Geralmente acontece o contrário. As pessoas mobilizam-se nos casos de crianças maltratadas para evitar a sua entrega às famílias e aqui defendem o seu regresso e até criaram condições para isso. Não é vulgar haver esta solidariedade. Se num caso concreto, em que as pessoas estão na zona e se conhecem há este movimento em defesa da entrega das crianças à mãe e o Estado não lhes dá razão, alguma não está bem. A solidariedade que se gerou devia ter tido outro tipo de resposta por parte das entidades oficiais”, argumenta.

 

A preocupação de António Campos com o funcionamento das CPCJ e nomeadamente com o risco de “pessoalização” dos problemas não é nova. “Quando estive na Segurança Social, criei uma estrutura de âmbito distrital e nomeei cerca de 7 técnicas e essas técnicas é que faziam parte dessas comissões locais. Retirei das comissões locais as técnicas que trabalham no concelho. Isto deu brado na altura mas permitiu que as pessoas pudessem ter uma perspectiva mais técnica e mais distante”.

 

As CPCJ são constituídas e funcionam nos termos da Lei n.º 147/99, de 1 de Setembro (alterada pela Lei n.º 31/2003, de 22 de Agosto, e regulamentada pelo Decreto-Lei n.º 332-B/2000, de 30 de Dezembro). Para António Campos o modelo deveria ser repensado à luz da experiência adquirida ao longo dos anos. “Há erros e virtudes. É necessário fazer com que a legislação e os regulamentos permitam ter a certeza que o procedimento adoptado é um procedimento justo e que o inocente não é responsabilizado”.

 

A situação de Foros de Salvaterra não é a única. Enquanto fui director da Segurança Social, António Campos diz ter testemunhado outros casos. “Lembro-me de um processo de uma criança abandonada em que a decisão da CPCJ, no imediato foi levá-la para adopção, em vez de, como eu defendia, se tentar encontrar outra solução no meio familiar. Felizmente o tribunal acabou por não adoptar a solução da CPCJ. Isto mostra que devia existir a tal estrutura intermédia que permitisse uma reflexão diferente.”.

 

António Campos explica melhor aquilo que preconiza. “Há uma tipologia de funções que estaria nas CPCJ locais e uma outra tipologia de funções complementares, que estaria numa comissão mais alargada de âmbito supra-municipal. Esta última teria uma intervenção mais proactiva e de controlo até. Estão em causa crianças e jovens e tudo deve ser feito para melhorar a defesa dos seus direitos”.

 

TODA A REPORTAGEM NA EDIÇÃO SEMANAL

 

in O Mirante

publicado por portuga-coruche às 12:18
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 9 de Outubro de 2009

Casal de idosos burlado em 3500 euros

Dois homens fizeram-se passar por técnicos da Segurança Social e disseram que o dinheiro tinha de ser trocado

 

Um casal de idosos de Insalde, Paredes de Coura, foi burlado em 3500 euros por dois falsos técnicos da Segurança Social, informou esta quinta-feira fonte da GNR à Lusa.
De acordo com a fonte, o casal, residente no lugar de Rebordães, foi abordado na passada terça-feira por dois indivíduos «bem vestidos e bem falantes», que se apresentaram como sendo da Segurança Social.

 

A fonte acrescentou que os burlões disseram que estavam ali para eventualmente ajudarem o casal a ter acesso a um programa de apoio à recuperação de habitações, pediram para ver o contador da luz, entraram e «rapidamente convenceram» os idosos a darem-lhes todo o dinheiro que tinham em casa.

Terão dito que as notas que eles tinham iriam sair de circulação e que precisavam de ser «imediatamente trocadas».
Os idosos tinham 3500 euros, provenientes da venda de vacas.

Deram todo o dinheiro aos burlões, com a promessa de que no dia seguinte eles voltariam à sua casa com as «novas» notas.
Os indivíduos puseram-se em fuga num veículo que ostentaria o dístico EP (empresa pública), com o qual conseguiam dar «maior credibilidade à sua alegada condição de técnicos da Segurança Social».

 

in IOL Diário

publicado por portuga-coruche às 09:26
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 3 de Dezembro de 2008

Gang armado aterroriza acampamento cigano

Cascais: Roubaram Audi A8 e ouro de uma comunidade em Tires

 

Agarraram numa mulher pelos cabelos e furaram pelo acampamento cigano. Pistolas em punho, "dispararam logo vários tiros que só não acertaram nas crianças porque elas se desviaram", recorda ao CM a primeira vítima, ainda em pânico com o violento assalto que sofreu na noite de anteontem, em Tires, Cascais. Os seis homens, encapuzados, levaram um Audi A8 e cerca de 3500 euros entre ouro e dinheiro. Duas crianças e uma mulher foram agredidas à coronhada. 

 

A hora de ataque estava marcada, ao início da noite – quando ainda só estavam no acampamento as oito mulheres e 16 crianças. "Eles sabiam que os homens não estavam cá porque há um mês que já nos andam por aí a vigiar", conta a mesma mulher, que não quer ser identificada. Sem dar explicações, confessa apenas que, ao ver o gang a rondar, "pensava que eram da Judiciária". E anteontem ainda pensou o mesmo – até que um deles lhe puxou os cabelos com força.

Já encapuzado, entrou no acampamento com os outros cinco elementos e dispararam indiscriminadamente. Ameaçaram todas as mulheres e 16 crianças. Algumas, ainda muito novas, "levantaram as mãos como vêem nos filmes".

Agrediram pelo menos uma mulher e duas crianças com a coronha das armas. "E ainda queriam abusar das crianças", garante uma das mulheres, acrescentando que só não o fizeram porque viram uma patrulha da PSP a passar na zona e fugiram com o dinheiro (umas centenas de euros), o ouro que as mulheres usavam (brincos, anéis, fios e correntes) e um Audi A8.

"Também tentaram levar a carrinha [BMW M5] mas não conseguiram", acrescenta. A mesma fonte adianta que os assaltantes chegaram num Mercedes branco, que deixaram a alguns metros. E o Audi que roubaram "tinha gasolina para cerca de 30 quilómetros". Uns eram louros, outros morenos, e todos aparentavam ter 25 a 30 anos.

PORMENORES

VIGILÂNCIA

Segundo os moradores, o acampamento cigano recebeu ontem um reforço na vigilância por parte de equipas da PSP. Enquanto durou a reportagem do ‘CM’, uma carrinha da polícia passou no local e os agentes mostraram-se atentos.

AMEAÇAS

‘Carla’ e as outras mulheres garantiram ao CM que os assaltantes ameaçaram violá-las. "Disseram várias vezes: ‘A gente gosta muito de f... com ciganas’", contaram, acrescentado que alguns apalparam-nas enquanto empunhavam as armas, ameaçando-as.

PORTUGUESES

As mulheres ciganas garantem que os assaltantes eram portugueses. "Eles bem tentavam imitar um sotaque mas quando foi para fugirem percebemos bem que eram portugueses". Quanto à PSP, refere que se tratariam de homens de Leste.

Sofia Rêgo
 
in Correio da Manhã

 

Não sabia que os ciganos, com o rendimento mínimo, ou mesmo vendendo umas roupas conseguiam ter uns carritos destes: Audi A8, Carrinhas Mercedes M5 (que já se tornaram simbolo de identificação de ciganos, pelo menos eu quando vejo uma faço o possivel ou para ultrapassar ou para que se adiante, não vá acontecer algo com 100% de probablidades de ser eu o responsável e o único a desembolsar).

Quanto ao facto de os assaltantes serem portugueses, resta-me concluir que por estarmos em Portugal é perfeitamente natural, a não ser que os ciganos o destaquem por acharem que existem os "Portugueses" e os "ciganos".

publicado por portuga-coruche às 12:34
link do post | comentar | favorito

.Janeiro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Rio lança suspeita de int...

. Coruche: População de Cou...

. Coruche: PCP questiona Go...

. Doentes que mal podem and...

. População do Couço subscr...

. Segurança Social está a e...

. Crianças de Foros de Salv...

. Casal de idosos burlado e...

. Gang armado aterroriza ac...

.últ. comentários

Sr José Sá, já confirmou a sua tese? Obrigado
Eu uso os produtos da HerbaLife há anos e são fant...
Tudo é muito aberta e muito clara explicação de qu...
Ė e nāo e pouco....
Subscrevo, já cá temos miséria que nos baste, e ge...
Por ser nutricionista e' que fala assim...
http://www.publico.pt/economia/noticia/herbalife-i...
essa empresa foi vendida a eden , que pelo visto a...
Estou para comprar um carro usado num stand de Sal...
VAI SE FERRAR. .INGERI OS COMPRIMIDOS DE MULTIVITA...

.arquivos

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. abel matos santos

. acidente

. água

. águas do ribatejo

. almeirim

. apanhados

. aquecimento global

. assalto

. autarquia

. benavente

. biscainho

. blogosfera

. bombeiros

. burla

. câmara municipal de coruche

. carina

. cdu

. china

. ciência

. cigana

. ciganos

. clima

. climategate

. cobre

. comboio

. copenhaga

. cortiça

. coruche

. couço

. cp

. crianças

. crime

. criminalidade

. crise

. dai

. david megre

. desaparecida

. desaparecidos

. desemprego

. desporto

. dionísio mendes

. dívida

. douro

. droga

. economia

. edp

. educação

. emigração

. emprego

. energia

. ensino

. escola

. espanha

. etnia

. fajarda

. faleceu

. fascismo

. festas

. finanças

. fmi

. fome

. gnr

. humor

. imperialismo

. impostos

. insólito

. internet

. ipcc

. justiça

. ladrões

. lamarosa

. meteorologia

. mic

. miccoruche

. morte

. música

. phil jones

. pobreza

. política

. pontes

. procura-se

. racismo

. roubo

. santarém

. saúde

. segurança

. sociedade

. sub

. tempo

. ticmais

. toiros

. tourada

. touros

. trabalho

. tráfico

. tribunais

. video

. videos

. violência

. xenofobia

. todas as tags

.links

.Enviem Notícias e Comentários

CONTACTO

greenbit@sapo.pt

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds