Segunda-feira, 5 de Maio de 2008

Coruche, um gigante adormecido deitado sobre um leito magnífico!

Coruche, um gigante adormecido deitado sobre um leito magnífico!      
Segunda, 17 Março 2008 21:03


É sobremaneira reconhecido por todos vivermos num concelho com uma localização geográfica privilegiada, que se revela uma das parcelas do território nacional com maior potencial endógeno. Nele existem não só bons recursos naturais (os melhores solos do país para a produção agrícola, abundância de água, boas condições climatéricas, etc.) como também recursos humanos cujas capacidades são fundamentais para desenvolver um processo de diversificação assente numa efectiva qualidade de vida, assim se promovam as condições de fixação e qualificação dos seus quadros e dos cidadãos em geral.

O concelho, em que o Sobreiro é rei e a Cortiça rainha, apresenta uma elevada qualidade ambiental, o que representa um considerável potencial turístico, fundado no património (natural e/ou construído), na cultura, na gastronomia, nos produtos de excelência e no meio ambiente.

Os recursos concelhios naturais e vantagens comparativas naturais constituem riqueza a ser explorada com uma aposta no capital humano e no conhecimento.

É certo que as estatísticas teimam em mostrar um cenário sombrio para a agricultura nacional e o concelho sente também os efeitos dessa regressão, originada por erros de políticas agrícolas nacionais, pelos cortes e políticas socialmente contraditórias da PAC.




Mas este concelho tão grande, tão fértil, com tanto potencial inexplorado, com uma excelente localização, infelizmente, parece estar num sono profundo, tal é a sua hibernação, o desperdício de oportunidades e de recursos (nomeadamente públicos e financeiros). Projectos estruturantes não são realizados, obras são abandonadas a meio, os prazos são constantemente dilatados, verbas avultadas são pagas por trabalhos a mais, grandes indemnizações são despendidas por trabalhos a menos e os quadros de pessoal claramente desajustados em relação a algumas carreiras destes novos tempos.

O nível de exigência dos cidadãos tem de reclamar, pois,  mais transparência, uma resposta mais eficiente e célere na administração dos recursos públicos, uma maior racionalidade económica, mais responsabilização dos seus dirigentes, medidas eficazes para a reestruturação e dinamização do tecido produtivo do concelho que permitam adequar o perfil produtivo às condições naturais e às exigências competitivas de um mercado aberto, no respeito pelos equilíbrios ambientais.

A sociedade cada vez tolera menos a manutenção do binómio impostos elevados e má aplicação dos recursos públicos.


Não basta a obra nova (importante e necessária), em que os fundos comunitários financiam a sua grande parte, é preciso ir mais além relativamente ao desenvolvimento do potencial humano e empresarial. É urgente criar um ambiente favorável e condições para estimular a criatividade e transformar o conhecimento em inovação ao serviço do desenvolvimento do concelho.

O concelho de Coruche é, no contexto regional, um dos que apresenta uma maior taxa de desemprego (11,4% de acordo com o Censos 2001), apenas superado por Salvaterra de Magos (11,9%), bastante longe da média que em 2001 era de 8,1% na zona Lezíria do Tejo. Trata-se sobretudo de desempregados à procura de novo emprego (na faixa dos 35/54 anos) e de pessoas que procuram o primeiro emprego, o que é um sinal revelador do fraco dinamismo económico e empresarial do concelho, traduzido pelas dificuldades em gerar postos de trabalho. Relativamente ao desemprego, todos sabemos que, em 2008, a situação não está melhor bem pelo contrário.

Da evolução demográfica recente, assumem-se como aspectos mais preocupantes a tendência evidente de envelhecimento demográfico, a perda de população, o abandono da população jovem e o encerramento de escolas.

Também preocupantes são os baixos níveis de escolaridade e de qualificação profissional da população residente no concelho, onde a taxa de analfabetismo é superior à média nacional (perto dos 22% nos censos de 2001).


Coruche é, ao contrário do que alguns apregoam, um concelho com problemas de depressão social, envelhecido e economicamente deprimido.

O atraso no arranque das vias estruturantes, principalmente o IC13 e o IC10, fundamentais para a região, muito em particular a variante a Coruche e a correspondente nova travessia sobre o Vale do Sorraia, a não concretização do Parque de Negócios, o encerramento da Zona Agrária de Coruche, as dificuldades colocadas à DAI pela redução drástica da quota de produção de açúcar e o abandono da realização da Feira das Actividades Económicas são também sinais reveladores de que as coisas não vão bem.

Feira de Actividades Económicas

As feiras de actividades económicas constituem uma forma de afirmação dos concelhos e um veículo privilegiado para a promoção e divulgação das suas potencialidades, das suas tradições, das empresas e dos negócios.

Coruche deveria aproveitar a dinâmica das Festas por forma a chegar mais longe!

Para além da programação que apresentam e da projecção inegável que têm, as Festas em Honra de Nossa Senhora do Castelo têm que contribuir, de modo mais significativo, para a promoção do desenvolvimento económico, social, tecnológico, ambiental e turístico do nosso concelho.

Como tal, têm de passar a integrar também a componente de Feira de Actividades Económicas e apoiar-se, como é evidente, nos modernos meios promocionais das Tecnologias da Comunicação e Informação.

Um caminho só possível de percorrer com a participação e envolvimento da população, das instituições e dos agentes económicos.







  


Os Itinerários Principais e Complementares parecem ter-se desviado de propósito do concelho.

publicado por portuga-coruche às 10:22
link | comentar | favorito

Coruche – um duplo custo de interioridade

Coruche – um duplo custo de interioridade      
Quarta, 23 Abril 2008 16:42


Queremos crer que a grande maioria dos nossos políticos locais têm plena consciência de que o futuro dos concelhos será fortemente influenciado pela forma como as novas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) forem assimiladas, bem como pelo sucesso e pela rapidez dessa absorção.

É inadmissível que uma vila como a de Coruche, sede de concelho, integrada no denominado Arco Metropolitano de Lisboa, não tenha ainda modernas infraestruturas de redes digitais de comunicação, necessárias à subscrição de pacotes de comunicação por cabo (televisão, vídeo, telefone e Internet).

As famílias e as empresas pagam aqui um duplo custo de interioridade. É com bastante atraso que podem usufruir de determinados serviços relativamente a outras zonas do país, têm de pagar mensalidades mais elevadas (cerca de 30€ por mês a mais), tendo apenas acesso a um leque reduzido de opções, a piores serviços e menores velocidades.

Já dispor destes serviços há muito tempo ou só vir a dispor deles sabe-se lá quando (mesmo que mais tarde o investimento público seja menor ou venha a beneficiar de algum programa de apoio) tem custos incalculáveis que alguns políticos não avaliam.

É imperioso garantir o acesso ao conhecimento e a novos conteúdos para fugir ao marasmo que é a grande maioria das famílias do nosso concelho ter só 4 canais de televisão (com telenovelas a mais, salvo poucas e honrosas excepções) e às mensalidades insuportáveis das soluções individualizadas de que dispomos.
Esta situação não é só um problema de interioridade, é também uma questão de alheamento e inacção política.

Aqui bem ao nosso lado, a vila de Mora tem já, desde Maio de 2007, as infraestruturas necessárias à recepção de televisão, telefone e Internet por cabo, resultante de um contrato de prestação de serviços celebrado entre a C. M. de Mora e a TV Cabo Portugal S.A.

É necessário, também aqui, preparar o concelho de Coruche para a Sociedade da Informação e criar condições para que o universo daqueles que têm acesso aos benefícios das TIC seja aumentado drasticamente, porque a realidade está à vista.

O acesso de todos os cidadãos aos novos serviços da Sociedade da Informação é um dos objectivos prioritários da União Europeia. A possibilidade de aceder a esses serviços e aplicações através de terminais distintos dos computadores pessoais e de utilizar diversas plataformas, como a televisão por cabo, a televisão digital, os terminais 3G ou as R-LAN (redes locais radioeléctricas), criará oportunidades económicas e sociais consideráveis.

Não se pode deixar unicamente nas mãos das forças do mercado o papel de regular o acesso a estes serviços. A Inclusão Digital tem que se assumir como política pública e o Poder Local, como garante da equidade e promotor do bem-estar para toda a sua comunidade, deve impedir o “apartheid” digital.

Se não se desperdiçar inutilmente tantos recursos públicos e as ‘tacadas’ forem primeiro canalizadas para outros ‘buracos’, é possível alterar esta situação!

Recebi este e mais alguns textos (que vão ser publicados ao longo da semana) de António Pinheiro do ticmais.

Relactivamente ao tema abordado sei que a CM de Coruche já assinou com a TVCabo, Gas Natural, PT e EDP uns protocolos para, na zona histórica de Coruche reallizar uma integração de todos esses serviços. Isso para mim não chega e se repararem verificam alguns artigos aqui neste blog (  "Net à borla para todos, em Amarante"    e  "Internet «à borla» na primeira «vila digital»") onde são referidas localidades que disponibilizam aos habitantes internet gratuita. Não é assim tão caro e é um grande serviço que prestam uma vez que uma ligalção decente (daquelas em que não morremos de tédio à espera que uma página se complete, normalmente adsl) é uma autentica renda.

publicado por portuga-coruche às 09:33
link | comentar | favorito

.Janeiro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Coruche, um gigante adorm...

. Coruche – um duplo custo ...

.últ. comentários

Sr José Sá, já confirmou a sua tese? Obrigado
Eu uso os produtos da HerbaLife há anos e são fant...
Tudo é muito aberta e muito clara explicação de qu...
Ė e nāo e pouco....
Subscrevo, já cá temos miséria que nos baste, e ge...
Por ser nutricionista e' que fala assim...
http://www.publico.pt/economia/noticia/herbalife-i...
essa empresa foi vendida a eden , que pelo visto a...
Estou para comprar um carro usado num stand de Sal...
VAI SE FERRAR. .INGERI OS COMPRIMIDOS DE MULTIVITA...

.arquivos

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. abel matos santos

. acidente

. água

. águas do ribatejo

. almeirim

. apanhados

. aquecimento global

. assalto

. autarquia

. benavente

. biscainho

. blogosfera

. bombeiros

. burla

. câmara municipal de coruche

. carina

. cdu

. china

. ciência

. cigana

. ciganos

. clima

. climategate

. cobre

. comboio

. copenhaga

. cortiça

. coruche

. couço

. cp

. crianças

. crime

. criminalidade

. crise

. dai

. david megre

. desaparecida

. desaparecidos

. desemprego

. desporto

. dionísio mendes

. dívida

. douro

. droga

. economia

. edp

. educação

. emigração

. emprego

. energia

. ensino

. escola

. espanha

. etnia

. fajarda

. faleceu

. fascismo

. festas

. finanças

. fmi

. fome

. gnr

. humor

. imperialismo

. impostos

. insólito

. internet

. ipcc

. justiça

. ladrões

. lamarosa

. meteorologia

. mic

. miccoruche

. morte

. música

. phil jones

. pobreza

. política

. pontes

. procura-se

. racismo

. roubo

. santarém

. saúde

. segurança

. sociedade

. sub

. tempo

. ticmais

. toiros

. tourada

. touros

. trabalho

. tráfico

. tribunais

. video

. videos

. violência

. xenofobia

. todas as tags

.links

.Enviem Notícias e Comentários

CONTACTO

greenbit@sapo.pt

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds