Terça-feira, 20 de Novembro de 2012

Rio lança suspeita de interesses escondidos na Segurança Social

Rui Rio sublinhou ontem que "um poder político desacreditado" está mais vulnerável à influência de interesses privados.

O presidente da Câmara do Porto contou ontem - num colóquio da Faculdade de Economia do Porto sobre "O Estado social ao Estado liberal" - que, em determinada altura da sua vida política, esteve envolvido no estudo de uma reforma da segurança social. Esse esqueleto de reforma nunca chegou a sair do papel. Os motivos? "Nunca os direi, pelo menos enquanto as pessoas envolvidas estiverem vivas".

Nunca se referindo ao que estava em causa nem aos contornos do caso, Rio afirmou apenas que, "se os portugueses soubessem o que se passou" teriam ainda mais motivos que os que já lhes assistem para desconfiarem do papel dos políticos no desenrolar da vida do país. "As pessoas ficariam abismadas", conclui, para não mais se referir ao assunto.

Já antes, na sua intervenção inicial, Rio tinha afirmado que "Temos uma crescente incapacidade política para resolvermos os problemas que temos à frente. E um poder político desacreditado e interesses corporativos mais fortes e capazes de influenciar" a vida de todos, colocando interesses particulares à frente do interesse público.

 

Por António Freitas de Sousa

In Económico

 

publicado por portuga-coruche às 07:07
link do post | comentar | favorito

Proposta ao governo português

 

 

Isto anda a circular pelo Facebook e eu não pode deixar de partilhar, já que todos temos de contribuir para resolver esta crise, porque não começar pelos políticos?

 

publicado por portuga-coruche às 07:00
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 12 de Abril de 2011

Islândia: primeiro-ministro processado por causa da crise

Vai ser criado um tribunal especial para julgar Geir Haarde por negligência

 

O parlamento islandês decidiu julgar, num tribunal especial, o ex-primeiro-ministro, que estava em funções quando o país faliu. Segundo a agência «France Press», Geir Haarde será acusado de «negligência» no processo que culminou com o crash do sistema financeiro do país em Outubro de 2008.

A decisão foi alvo de votação e aprovada por uma curta margem de 33 votos a favor e 30 contra.

Geir Haarde, de 59 anos, tinha chegado ao poder em 2006 e foi reeleito em 2007. Renunciou em Janeiro de 2009, por sofrer de um cancro.

Segundo várias sondagens, a maioria dos islandeses defende que Geir Haarde e vários ex-ministros sejam julgados pelo seu papel na crise que assolou o país, nomeadamente por nacionalizarem «de urgência» os principais bancos do país que tinham falido.

 

in Agência Financeira

 

Cá também temos muita gente para julgar. Não temos dinheiro para os reformados e até se está a cortar no transporte de doentes mas para enterrar e manter os buracos feitos pelos boys existe sempre dinheiro.

 

Eis a prova disso:

 

Depois do Governo decidir atribuir um empréstimo de 260,7 milhões de euros à empresa

Standard & Poor's mantém 'rating' da Refer em B+

 

 

A Standard&Poor's (S&P) manteve o 'rating' da Refer em B+, com perspectiva negativa, depois do Governo decidir atribuir um empréstimo de 260,7 milhões de euros à empresa que gere a infraestrutura ferroviária.

 

 

A agência de notação financeira refere que o empréstimo vai permitir à Refer pagar a dívida de 300 milhões de euros que vencia hoje.

Sem este apoio, a S&P acredita que a falta de liquidez da Refer iria resultar num incumprimento, impedindo a empresa de manter os seus compromissos.

A S&P acrescenta que esta análise se baseia na expectativa de que o apoio extraordinário que o Governo disponibilizou à Refer se mantenha, numa base regular.

Por isso, a avaliação pode ser revista, dependendo do grau em que o Governo disponibilize os meios necessários antes do vencimento das dívidas da Refer.

A Standard & Poors mantém a perspectiva negativa (CreditWatch negative) para a empresa - excepto no que diz respeito à dívida da empresa garantida pelo Estado - o que reflecte a probabilidade do apoio extraordinário do Governo se prolongar nos próximos meses.

A S&P previne que o 'rating' pode baixar se a Refer e o Governo não apresentarem uma solução para a contínua necessidade de refinancimento da empresa.

 

in Correio da Manhã

 

Portanto, o nosso governo está a rebentar com o nosso futuro e dos nossos filhos porque tem mantido esta incompetência toda e nem coragem tem de assumir que uma empresa que tem um buraco tão grande não é sustentável. Será que as mordomias megalomanas e incompetênciados boys nada tem a ver com isto? "Quem não condena o mal ordena que ele se faça", dizia leonardo Da Vinci. Quer isto dizer que não só deverá ser julgado o nosso estado por andar a dormir (claro que eles tem o deles garantido, o prejuízo é no nosso bolso) e fechar os olhos ao que os amigos andam a fazer com os bens públicos. Depois, em vez de resolverem, decidem meter mais dinheiro á nossa custa. Cambada de incompetentes. A sorte deles é que não estamos na Islândia, onde o povo zela pelos seus direitos e futuro.

publicado por portuga-coruche às 07:00
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 8 de Fevereiro de 2011

PSD de Coruche acusa governo de ataque ao serviço de saúde

A concelhia de Coruche do PSD acusa o governo socialista de estar a atacar o serviço público de saúde como nunca ninguém o fez e aponta como exemplo a política de saúde no concelho. Em comunicado, os sociais-democratas mostram-se solidários com as preocupações e indignação da população face ao que considera serem os exemplos dessa política. É o caso do Serviço de Urgência Básico, onde foram gastos milhares de euros, com abertura várias vezes anunciada e que continua por abrir. “Exigimos um compromisso e um assumir de responsabilidades políticas, ao nível da ARSLVT e do ACES da Lezíria II, e a sua abertura rapidamente/urgentemente”, pode ler-se.

 

O encerramento da extensão de saúde do Biscainho e da de S. José da Lamarosa, esta última onde a autarquia tinha efectuado obras, são casos de perda de serviço. No caso do Biscainho, salienta o PSD, obriga-se os utentes a fazerem mais de 30 quilómetros de ida e volta ao centro de saúde na sede de concelho. No que respeita à Lamarosa, critica-se o desperdício de dinheiro e o facto de a população dessa freguesia continuar sem médico da família.

 

A juntar a essas situações, lembra a concelhia do PSD que os mais pobres e idosos continuam no centro dos ataques da política governamental com o agravamento das taxas moderadoras e fim de algumas isenções, o fim do reembolso do transporte de doentes, redução de comparticipação de medicamentos e o ataque aos direitos dos doentes crónicos, hemodializados e oncológicos.

 

Para o líder da Concelhia do PSD, Francisco Gaspar, esses exemplos de ataque ao Estado Social têm como objectivo a sua “destruição” e garante que o partido não vai tolerar e calar essa “guerra declarada à prestação de cuidados de saúde”. Para isso, convida as restantes forças políticas a juntarem-se à mesma causa e exigir do Ministério da Saúde, da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo e do Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria a normalização do acesso à saúde.

 

in O Mirante

 

 

publicado por portuga-coruche às 07:00
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 24 de Setembro de 2010

Segurança Social está a encerrar balcões de atendimento por todo o distrito

 

O Centro Distrital de Segurança Social de Santarém tem ignorado todos os pedidos de informação e esclarecimentos que lhe têm sido dirigidos

A Segurança Social está a encerrar uma parte dos 36 balcões de atendimento permanente que tem espalhados por todo o distrito, mas ainda não anunciou em concreto quais os que vão fechar portas.

A falta de informações oficiais sobre este processo está a provocar grande apreensão em Câmaras Municipais, Juntas de Freguesia e nas populações afectadas, que estão obviamente contra o encerramento dos serviços locais.

A 30 de Agosto de 2010, o nosso jornal solicitou via e-mail esclarecimentos sobre este assunto ao Centro Distrital de Segurança Social de Santarém (CDSSS), mas o organismo presidido por Anabela Santos Rato não enviou qualquer resposta até à data.

Questionámos em concreto que balcões já fecharam ao público, quais vão ser encerrados e quais os motivos que justificam esta reorganização da rede de serviços, e aguardamos pelas explicações.

No concelho de Ourém, os balcões de Caxarias e Freixianda foram encerrados há meses sem aviso prévio, mas vão reabrir em breve porque a Câmara Municipal vai colocar funcionários do município a assegurar o seu funcionamento.

O presidente da autarquia, Paulo Fonseca, explicou ao nosso jornal que, quando foi informado do fecho dos balcões, solicitou uma reunião ao Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social, onde deixou a proposta para que fosse a Câmara a responsabilizar-se pelo serviço, mediante delegação de competências.

“A proposta já foi genericamente aceite, e falta discutir apenas algumas condições e dar formação aos funcionários”, explicou Paulo Fonseca, acrescentando não poder aceitar “que o segundo maior concelho do distrito tenha apenas uma técnica da Segurança Social e ainda por cima seja confrontado com o encerramento de serviços”.

Já o balcão de Alcanede encontra-se “encerrado temporariamente” desde o passado mês de Abril, altura em que a única funcionária foi deslocalizada para Santarém, alegadamente para substituir uma colega que estaria de baixa.

 

O balcão de atendimento permanente de Alcanede encerrou "temporariamente" no passado mês de Abril

Quase seis meses depois, a técnica ainda não regressou e os utentes têm sido obrigados a deslocar-se à capital do concelho, que se situa a 26 quilómetros, ou a Rio Maior e Alcanena para tratar dos seus assuntos.

Entre a população, cresce a desconfiança que o balcão já não voltará a funcionar.

Segundo conseguimos apurar, vários moradores já contactaram o CDSSS via e-mail e até por carta registada, mas também não obtiveram qualquer resposta.

No concelho de Salvaterra de Magos, o encerramento do balcão de Marinhais já deu origem a duas moções de contestação aprovadas por unanimidade, uma pela Câmara Municipal a 17 de Agosto, e outra pela Junta de Freguesia de Marinhais a 13 de Setembro.

Segundo este documento, o encerramento do balcão “deixou surpresos todos os autarcas do município”, para quem “não é aceitável acabar com um serviço que serve grande parte da população do concelho”, concretamente das freguesias de Marinhais, Muge, Glória do Ribatejo e Granho.

O executivo da Junta acrescenta ainda ser inaceitável que “o encerramento tenha sido feito sem qualquer possibilidade de diálogo” e pede que seja encontrada uma alternativa “para não prejudicar a população que necessita do serviço”

A estes exemplos, somam-se os balcões de Riachos, no concelho de Torres Novas, e Minde, Alcanena, que foram também já encerrados.

 

in O Ribatejo

 

 

publicado por portuga-coruche às 07:07
link do post | comentar | favorito

.Janeiro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Rio lança suspeita de int...

. Proposta ao governo portu...

. Islândia: primeiro-minist...

. PSD de Coruche acusa gove...

. Segurança Social está a e...

.últ. comentários

Sr José Sá, já confirmou a sua tese? Obrigado
Eu uso os produtos da HerbaLife há anos e são fant...
Tudo é muito aberta e muito clara explicação de qu...
Ė e nāo e pouco....
Subscrevo, já cá temos miséria que nos baste, e ge...
Por ser nutricionista e' que fala assim...
http://www.publico.pt/economia/noticia/herbalife-i...
essa empresa foi vendida a eden , que pelo visto a...
Estou para comprar um carro usado num stand de Sal...
VAI SE FERRAR. .INGERI OS COMPRIMIDOS DE MULTIVITA...

.arquivos

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. abel matos santos

. acidente

. água

. águas do ribatejo

. almeirim

. apanhados

. aquecimento global

. assalto

. autarquia

. benavente

. biscainho

. blogosfera

. bombeiros

. burla

. câmara municipal de coruche

. carina

. cdu

. china

. ciência

. cigana

. ciganos

. clima

. climategate

. cobre

. comboio

. copenhaga

. cortiça

. coruche

. couço

. cp

. crianças

. crime

. criminalidade

. crise

. dai

. david megre

. desaparecida

. desaparecidos

. desemprego

. desporto

. dionísio mendes

. dívida

. douro

. droga

. economia

. edp

. educação

. emigração

. emprego

. energia

. ensino

. escola

. espanha

. etnia

. fajarda

. faleceu

. fascismo

. festas

. finanças

. fmi

. fome

. gnr

. humor

. imperialismo

. impostos

. insólito

. internet

. ipcc

. justiça

. ladrões

. lamarosa

. meteorologia

. mic

. miccoruche

. morte

. música

. phil jones

. pobreza

. política

. pontes

. procura-se

. racismo

. roubo

. santarém

. saúde

. segurança

. sociedade

. sub

. tempo

. ticmais

. toiros

. tourada

. touros

. trabalho

. tráfico

. tribunais

. video

. videos

. violência

. xenofobia

. todas as tags

.links

.Enviem Notícias e Comentários

CONTACTO

greenbit@sapo.pt

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds