Quarta-feira, 2 de Setembro de 2009

Raptados em casa pela família

Coruche:

Unidade Nacional Contra-Terrorismo da PJ libertou as vítimas

 

Trancada dentro de um quarto sem luz natural, onde lhe era atirado um balde para as necessidades, vergada pelas agressões da sua própria família e profundamente subnutrida. A fazer lembrar "uma refugiada de um campo de concentração". Foi deste cenário que os inspectores da Unidade Nacional Contra-Terrorismo da PJ salvaram anteontem, em Fajarda, Coruche, Jacinta Formigo, 66 anos. E foi assim que a vítima e o seu filho Carlos, 42 anos, passaram os últimos 14 meses. Tudo para que o seu outro filho e a nora lhes pudessem roubar, respectivamente, a reforma e o subsídio de invalidez.

 

Há cerca de dois anos que os habitantes de Fajarda não viam Jacinta pelas ruas da aldeia, tal como o seu filho Carlos, portador de uma deficiência mental profunda. As pessoas não desconfiavam de nada, mas ontem, quando souberam pelo CM que ambos eram mantidos prisioneiros em casa pelos próprios familiares, ficaram chocados. Os sequestradores são Ricardo e Germana Formigo (46 e 43 anos), filho e nora de Jacinta, que assim guardavam as cadernetas bancárias das vítimas e roubavam as pensões do Estado.

Estão agora indiciados pelos crimes de rapto, extorsão e violência doméstica, depois de a PJ ter sido chamada pela GNR, eram 15h00 de segunda-feira. A participação pelo desaparecimento tinha chegado ao posto local por parte de outro familiar, e havia a suspeita de que as vítimas eram prisioneiras em casa.

Este estado de "miséria humana", como classificou a Polícia Judiciária, durava há cerca de 14 meses – pouco depois de o marido de Jacinta se ter suicidado, ingerindo veneno. Em Junho do ano passado, Jacinta viu a sua casa ser invadida pelos familiares, com o objectivo de a extorquir. A ela e ao filho Carlos, que até há cerca de dois anos esteve internado numa casa do Biscainho, localidade próxima, mas voltou para casa da família. Também ele era vítima de maus tratos físicos e psicológicos por parte do irmão e da cunhada – enfiado num compartimento e trancado a cadeado e com correntes. Tal como a mãe, fazia as necessidades fisiológicas no chão ou num balde de plástico.

Anteontem, eram 17h00 quando a PJ chegou ao nº 89 da rua António Roquete, na pacata aldeia, e se deparou com um cenário "chocante". Enquanto os dois sequestradores foram detidos e levados para Lisboa, as vítimas foram imediatamente assistidas: Jacinta no Hospital de Santarém, já estando ontem à guarda de outros familiares; e Carlos num centro de solidariedade social da Cruz Vermelha.

Na casa estavam ontem três filhos dos sequestradores que continuam hoje a ser interrogados por um juiz. Ao que o CM apurou, Ricardo confessa tudo e diz que a mulher, Germana, era o cérebro do crime. Por ganância.

CASA FREQUENTADA POR CRIANÇAS DE COLO

As condições desumanas em que viviam Jacinta e Carlos Formigo estavam longe dos olhares dos habitantes da pequena povoação de Fajarda, a poucos quilómetros de Coruche, mas bem presentes no dia--a-dia dos familiares.

O pior é que a referida casa onde estes eram mantidos fechados é frequentada por cinco crianças, algumas delas ainda de colo, que presenciavam este cenário indesejado em que viviam os sequestrados e os familiares.

Diariamente, os filhos de Sara Bacalhau e de Miguel Formigo – netos e sobrinhos das duas vítimas e filhos dos dois suspeitos – conviviam com os episódios de violência e de más condições das vítimas.

Os maus tratos de que as vítimas foram alvo eram facilmente escondidos da população, até porque a casa térrea onde viviam na Fajarda não se encontrava à beira da estrada. Está recolhida cerca de 20 metros para o interior de um terreno e mal é vista por quem passa a pé ou de carro na estrada. A habitação fica muito perto da escola primária daquela localidade ribatejana.

Anteontem, ninguém se apercebeu da chegada das autoridades à referida moradia da Fajarda, pelo que alguns habitantes que se encontravam à porta de um estabelecimento de restauração só ficaram a saber do sucedido através da nossa reportagem.

"OS MEUS PAIS GEREM O DINHEIRO"

Sara Bacalhau, filha dos suspeitos e neta e sobrinha das vítimas, vive actualmente na casa que era da avó, paredes-meias com a residência onde tudo aconteceu. E defende os pais. "Ninguém foi mantido prisioneiro ou maltratado. Desde que o meu avô morreu que eram os meus pais quem geria o dinheiro da minha avó, que tem problemas psiquiátricos, e do meu tio, deficiente", começa por contar a jovem, de 22 anos, bombeira em Coruche. "Alguns quartos eram mantidos fechados mas era para eles não mexerem em certas coisas lá dentro."

PORMENORES

BOMBEIROS NO LOCAL

Os bombeiros que acorreram ao local para transportar a vítima deficiente ao Hospital de Santarém são colegas de Sara Bacalhau, filha dos suspeitos, também ela bombeira em Coruche.

FUNCIONÁRIO DA CÂMARA

Ricardo Formigo, de 46 anos, suspeito dos maus tratos à mãe e ao irmão, é funcionário da Câmara de Coruche. A mulher, também suspeita, trabalha no campo.

DISCURSO DIRECTO

"É COMUM A APROPRIAÇÃO DE REFORMAS": Carlos Poiares, Psicólogo criminal

Correio da Manhã – Como é que um homem, em conjunto com a mulher, chega ao ponto de sequestrar a própria mãee o irmão?

Carlos Poiares – Trata-se de pessoas que observam os outros como meros instrumentos, objectos. Só servem para providenciar proventos monetários. É um caso repugnante, pois reduziram duas pessoas vulneráveis à ínfima condição humana para ter acesso às pensões.

– Estes casos são frequentes?

– Não de uma forma tão violenta. Mas é comum a apropriação das reformas por familiares. Também há outros casos de sequestro, mas é em condições humanas.

– O caso ocorreu numa aldeia pequena. Como é que ninguém se apercebeu?

– É em sociedade de plástico, centrada no seu umbigo. A solidariedade na aldeia foi esquecida.

NOTAS

MINISTRO: PRISÃO PREVENTIVA

O ministro da Justiça, Alberto Costa, comentou este caso, dizendo que os crimes de violênciadoméstica são puníveis com prisão preventiva como medida de coacção.

TRIBUNAL: INTERROGATÓRIO

Ricardo e Germana Formigo foram ontem presentes a um juiz do Tribunal de Coruche para lhes serem atribuídas medidas de coacção, mas o interrogatório vai continuar hoje.

PJ: "CENÁRIO DE MISÉRIA"

Luís Neves, director da Unidade Nacional Contra-Terrorismo da Judiciária, diz-se surpreendido, apesar dos muitos anos no terreno, "pelo cenário de miséria" encontrado.

 

João Tavares/Henrique Machado/J.C.R.
 
in Correio da Manhã
publicado por portuga-coruche às 09:45
link | comentar | favorito

.Janeiro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Corte no abastecimento de...

. Novo estudo sobre toxidad...

. De olhos bem abertos

. GNR apanha ladrões de bom...

. 85% da divida foi gerada ...

. Continuamos à Espera

. Orientação Pedestre - Cam...

. Dakar Desert Challenge ap...

. Coruche acolhe caravana d...

. DIA EUROPEU DO ENOTURISMO...

.últ. comentários

Sr José Sá, já confirmou a sua tese? Obrigado
Eu uso os produtos da HerbaLife há anos e são fant...
Tudo é muito aberta e muito clara explicação de qu...
Ė e nāo e pouco....
Subscrevo, já cá temos miséria que nos baste, e ge...
Por ser nutricionista e' que fala assim...
http://www.publico.pt/economia/noticia/herbalife-i...
essa empresa foi vendida a eden , que pelo visto a...
Estou para comprar um carro usado num stand de Sal...
VAI SE FERRAR. .INGERI OS COMPRIMIDOS DE MULTIVITA...

.arquivos

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. abel matos santos

. acidente

. água

. águas do ribatejo

. almeirim

. apanhados

. aquecimento global

. assalto

. autarquia

. benavente

. biscainho

. blogosfera

. bombeiros

. burla

. câmara municipal de coruche

. carina

. cdu

. china

. ciência

. cigana

. ciganos

. clima

. climategate

. cobre

. comboio

. copenhaga

. cortiça

. coruche

. couço

. cp

. crianças

. crime

. criminalidade

. crise

. dai

. david megre

. desaparecida

. desaparecidos

. desemprego

. desporto

. dionísio mendes

. dívida

. douro

. droga

. economia

. edp

. educação

. emigração

. emprego

. energia

. ensino

. escola

. espanha

. etnia

. fajarda

. faleceu

. fascismo

. festas

. finanças

. fmi

. fome

. gnr

. humor

. imperialismo

. impostos

. insólito

. internet

. ipcc

. justiça

. ladrões

. lamarosa

. meteorologia

. mic

. miccoruche

. morte

. música

. phil jones

. pobreza

. política

. pontes

. procura-se

. racismo

. roubo

. santarém

. saúde

. segurança

. sociedade

. sub

. tempo

. ticmais

. toiros

. tourada

. touros

. trabalho

. tráfico

. tribunais

. video

. videos

. violência

. xenofobia

. todas as tags

.links

.Enviem Notícias e Comentários

CONTACTO

greenbit@sapo.pt

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds