Sexta-feira, 25 de Setembro de 2009

Nuno Balsa - Entrevista a O Mirante

Agora falo eu

32 anos, desempregado, Coruche
Nuno Balsa
 

“Mentir é coisa que me irrita profundamente. Quem diz uma mentira pequena acaba por um dia dizer uma grande. Acho que quem diz uma vez, diz a segunda, a terceira e por aí fora”


 

fotoEra capaz de desrespeitar uma condenação de tribunal a ponto de ser preso?

Não, porque ser preso é uma situação muito grave que fica marcada no registo criminal e que nos pode fechar muitas portas no futuro em termos de emprego e outros aspectos. Preso é que não.

É um dos novos frequentadores do comboio em Coruche?

Não sou mas penso que vai facilitar muito a vida a quem trabalha em Lisboa. Coruche tem várias povoações que estão isoladas e até quando os jovens querem sair à noite, beber qualquer coisa, têm de ir para fora e fazer alguns quilómetros. A estação é que fica um pouco longe da vila.

A que festa é que nunca falta?

Obviamente às Festas de Nossa Senhora do Castelo. Acontece uma coisa curiosa, que é a par dos concertos, no Verão encontrar velhos amigos que estudam ou trabalham fora. Fora de Coruche vou muitas vezes ao bar Xantarim, em Santarém.

Costuma cumprir todas as medidas de prevenção da gripe A?

Penso que há um grande alarido com a gripe A. As escolas e outros espaços estão equipados para prevenir a gripe mas no dia a dia faço o que sempre fiz, nem mais nem menos.

O que acha da previsão de que o número de desempregados em Portugal vai subir a 650 mil em 2010?

Por acaso vi uma reportagem onde referiam que no último ano houve mais 111 mil desempregados no país, um grande grupo do qual faço parte. Vai continuar o desemprego e cada vez há mais precariedade no trabalho.

O que mais o irrita?

Mentir é coisa que me irrita profundamente. Quem diz uma mentira pequena acaba por um dia dizer uma grande. Acho que quem diz uma vez, diz a segunda, a terceira e por aí fora.

Alguma vez apanhou algum ladrão em flagrante delito?

Ladrões não, mas já saí de um bar em Évora, perto das quatro da manhã, e na praça do Giraldo estava um rapaz e uma rapariga a fazerem amor, com taxistas, polícia e pessoal da noite ali bem por perto. Ninguém ligou!

Já teve problemas por ter o cabelo tão longo?

Já tenho o cabelo longo desde os 16 anos. Lembro-me de na escola os mais velhos me avisarem para cortar o cabelo mas sempre me acompanhou assim. Estive numa empresa com muitos trabalhadores mas posso orgulhar-me de ter saído tal como entrei e saber que no último dia de trabalho tinha mais adeptos do cabelo grande.

O que é que lhe agrada mais numa mulher?

Gosto sobretudo do carácter forte, de alguém que seja inteligente e saiba conversar e brincar. Se tiver contornos físicos interessantes, melhor. Muitas vezes o homem aprecia primeiro as qualidades físicas e mais tarde é que fica a conhecer a mulher interiormente.

Alguma vez foi elogiado ou assediado por um homem?

Nunca aconteceu nem sei o que faria. É uma situação constrangedora mas mostrava-me desinteressado obviamente. A mulher foi das mais belas criações da natureza.

 

in O Mirante

publicado por portuga-coruche às 16:16
link | comentar | favorito

Câmara e ex-dirigentes de O Coruchense querem anular parte da dívida fiscal do clube

Proposta para “salvar” ex-dirigentes, notificados para assumirem pagamento de 330 mil euros
 

fotoDocumento sustenta alteração da designação do negócio de doação de terreno do clube à autarquia feito em 2002 para uma permuta de bem futuro, originando a anulação de 200 mil euros de dívida. A câmara compromete-se ainda a liquidar a restante dívida fiscal - 130 mil euros.

 


 

 

A Câmara de Coruche e os 16 ex-dirigentes do Grupo Desportivo O Coruchense, citados para liquidarem dívidas ao fisco na ordem dos 330 mil euros, vão apresentar uma proposta à Direcção de Finanças de Santarém que pensam que pode resolver o caso de vez.

O executivo municipal deliberou dia 16 rectificar a escritura de doação do terreno do Montinho do Brito, feita pelo Coruchense à Câmara em 20 de Maio de 2002 - na altura em troca da construção de uma sede social para o clube no valor de 40 mil contos - para realizar nova escritura pública na modalidade de permuta de bem futuro.

Recorde-se que as Finanças taxaram com IVA o negócio da doação do clube à autarquia, o que somado aos juros de mora, fez ascender a dívida fiscal do Coruchense a cerca de 200 mil euros.

Com a nova versão do negócio a câmara espera que as Finanças emitam uma nota na qual reconheçam que essa dívida não existe. A autarquia propõe-se, de seguida, pagar ao clube, em duas tranches, a dívida fiscal remanescente de mais de 130 mil euros. Esse montante é a verba acumulada de dívidas das direcções do clube de 1999 a 2001, devido à ausência de contabilidade organizada em situações como pagamentos a jogadores sem declaração de rendimentos, receitas de bar e de publicidade em que não foi taxado IVA, somada aos respectivos juros de mora. Sem encontrar documentação, o fisco fez uma estimativa do montante em dívida. A proposta que foi aprovada em câmara já tinha sido ratificada por esmagadora maioria em assembleia-geral do clube de dia 11.

Recorde-se que dos 16 ex-dirigentes citados para pagarem a dívida de 330 mil euros, há três elementos visados em cerca de 212 mil euros cada um, com risco de penhora de suas casas e carros (ver edição 28 de Maio). Outros receberam notificações para pagarem 30 mil euros, outros mais de 6.600 euros e por aí fora, até alguns elementos com apenas 73 euros. Oito dos 16 ex-dirigentes assistiram à discussão do ponto na última reunião de câmara.

José Tadeia, presidente do Coruchense entre 2000 e 2002, foi ilibado de pagar uma verba de cinco mil euros. “Espero que esta proposta se concretize a bem de todos e do clube. Penso que os dirigentes que geraram esta dívida não estavam preparados e estavam no clube para desenrascar, nunca pensando que isto viria a acontecer”, disse a O MIRANTE.

Carlos Galamba, que esteve dez meses no clube numa comissão administrativa, foi notificado para pagar mais de 212 mil euros. Recorda como foi impossível contestar qualquer valor quando não havia documentos de suporte de anos anteriores e que o cerco das Finanças se apertou com a cativação do subsídio mensal atribuído pela autarquia, o congelamento das contas e até a tributação a reclamos de publicidade do campo Horta da Nora com mais de 20 anos. “Se houver bom senso das Finanças a situação vai resolver-se”, comenta.

 

PS e CDU trocam acusações sobre responsabilidades na situação

A discussão da situação do Coruchense, que se encontra sem qualquer actividade desportiva, motivou acusações entre PS e CDU. Rodrigo Catarino e Ricardo Raposo acusaram o executivo de maioria socialista de fazer arrastar uma decisão final para período eleitoral, enquanto o clube vivia em agonia. Catarino mostrou também dúvidas em relação à entrega de dinheiro pela autarquia para um clube sem actividade.

O presidente da edilidade, Dionísio Mendes (PS) lembrou que já em 2004 a autarquia tinha tentado resolver a questão junto das Finanças mas que, na altura, foi informada que teriam de ser os dirigentes do clube a fazê-lo. Argumentou ainda que se a câmara não tivesse ficado com o terreno do Montinho do Brito, este hoje já não estaria na posse do Coruchense e teria sido penhorado pelas Finanças para liquidar dívidas.

Com cinco votos a favor, incluindo o de Ricardo Raposo, e a abstenção de Rodrigo Catarino, foi aprovada a proposta. O presidente demissionário do Coruchense desde 8 de Julho de 2008, Ricardo Santos, e também presidente dos Amigos do Grupo Desportivo O Coruchense (agremiação criada para dar continuidade à actividade das equipas de futebol) mostrou-se incomodado com o facto de a votação não ter sido unânime. “O senhor mostrou grande insensibilidade nesta matéria e falta de solidariedade com os dirigentes e com o clube”, acusou o dirigente, referindo-se a Rodrigo Catarino.

 

in O Mirante

 

 

 

 

 

 

publicado por portuga-coruche às 16:07
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 23 de Setembro de 2009

O hino do MIC

O site do SAPO (maior Portal Português) seleccionou o Hino do MIC (Coruche), estando o mesmo a concorrer com Albufeira, Matosinhos, Alcobaça e Braga.

Melhor Hino Autárquicas 2009!

http://autarquicas.sapo.pt/2009/e_toca_o_hino/

O MIC está em votação e neste momento está empatado com Braga!

Precisamos da tua ajuda, toca a VOTAR no Hino do MIC, pelas Pessoas por Coruche!

www.miccoruche.org
 
publicado por portuga-coruche às 22:35
link | comentar | favorito

XV Festival de Folclore da Capeleira e Navalha

Realiza-se no dia 4 de Outubro, pelas 15h00, na localidade de Capeleira, concelho de Óbidos, o XV Festival de Folclore da Capeleira e Navalha.
A exibição dos Ranchos terá lugar junto do Pavilhão da Associação Recreativa e Cultural Amigos da Capeleira e Navalha (ARCACEN).
Programa: 15h00 – Entrega de lembranças aos grupos participantes; 15h30 - Início do XV Festival de Folclore - Rancho Folclórico e Etnográfico da Capeleira – Óbidos; Rancho Folclórico S. José da Lamarosa – Coruche; Grupo Etnográfico “Os Camponeses da Golegã” – Ribatejo; Rancho Folclórico “Estrelas das Várzeas” – Leiria; Grupo Folclórico de Cabeço de Montachique – Loures; Grupo Folclórico da Madalena – Vila Nova de Gaia.
Este evento é organizado pelo Rancho Folclórico e Etnográfico da Capeleira.

 

in Jornal das Caldas on-line

publicado por portuga-coruche às 22:24
link | comentar | favorito

Mais vale perder 1 minuto na vida que a vida num minuto

 

 

 

in 24Horas n.º 3256

publicado por portuga-coruche às 15:39
link | comentar | favorito

David Megre é campeão europeu

Team KTM/Município de Coruche

 

David Megre é campeão europeu

 

No primeiro ano em que uma das suas opções desportivas foi a  participação no campeonato Europeu de TT, o piloto do Team KTM / Município de Coruche, David Megre, conquistou o título.
 

David Megre é campeão europeu -

 

 

Após uma suada vitória na exigente Baja Hungria, o recruta do Team KTM/Município de Coruche recebeu com surpresa a noticia da anulação da derradeira prova do campeonato, agendada para o início do mês de Outubro na Sardenha:


"O comunicado anunciou a anulação da prova, prevista para a zona militar de Perdas de Fogu, devido à falta de condições de segurança, pelo que o campeonato ficou com menos esta prova.", referiu.


Desta forma a KTM EXC 250F com as cores da Cetelem é a moto campeã europeia neste ano de 2009, no final de um campeonato em que se realizaram três das cinco provas inicialmente agendadas. "Após a anulação da prova de Montenegro foi com surpresa que todos os pilotos tomaram conhecimento de mais este 'corte' no campeonato. Estava pronto para lutar pelo título na Sardenha, mas desta forma está tudo decidido e posso encarar com mais à vontade o final do campeonato nacional de TT." revelou igualmente o piloto da Fox.


David Megre venceu três dos seis dias de provas realizados neste campeonato, com destaque para a primeira posição em ambos os dias da ronda húngara do campeonato e uma vitória no dia de abertura da Baja Puglia & Lucania, a segunda prova do campeonato. "Venci metade dos dias realizados e foi segundo noutros dois dias. Foi pena os problemas que me atrasaram no segundo dia dessa prova, mas o objectivo final foi cumprido, sou o Campeão Europeu de Bajas, e esse era um dos meus objectivos para este ano.", referiu.

David Megre pensa agora no campeonato nacional de TT 'onde me espera uma grande luta pelo comando do mesmo já este fim-de-semana em Castelo Branco. Mas estou confiante que posso conseguir o título e depois do Europeu seria sem dúvida muito positivo conseguir mais um campeonato em Portugal.' referiu ainda o piloto da MXT já a pensar na próxima etapa do nacional de TT, a decorrer este fim-de-semana nas rápidas pistas de Castelo Branco 'bem ao meu gosto'.

 

in AutoSport

publicado por portuga-coruche às 14:51
link | comentar | favorito

Reciclagem: Ponto Verde abandona plásticos mistos para evitar falência

23 de Setembro de 2009, 07:15

 

Lisboa, 23 Set (Lusa) - A Sociedade Ponto Verde anunciou que vai abandonar em Outubro a retoma e envio para reciclagem dos plásticos mistos, como embalagens de manteiga ou copos de iogurtes sólidos, considerando esta medida "indispensável" para evitar a falência.

Ao contrário do que é habitual na sua política de comunicação, o anúncio foi feito à Lusa, não pelo director daquela entidade gestora, mas pelo presidente do conselho de administração, que justificou a sua presença com a "gravidade" da situação financeira da Sociedade Ponto Verde (SPV).

"Na crise que vivemos não há sectores protegidos. A crise também se repercutiu no SIGRE [Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Embalagem, gerido pela SPV] e a situação é de uma enorme gravidade", afirmou Barahona d´Almeida.

 

in Sapo Notícias

 

O mais interessante e que mais esclarece nesta notícia são os comentários:

Aos jornalistas

Faço aqui um pedido aos Sr Jornalistas. Por favor investiguem aquilo que se passa no mundo dos resíduos, falem com as empresas que estão ligadas á reciclagem, vejam aquilo que a SPV faz, e depois deitem nas paginas dos jornais aquilo que investigaram. Uma coisa é certa, vão gastar muito papel de jornal (papel reciclado) a contar as 1001 histórias desse negocio. Os eco-pontos são uma farsa, os aterros farsa são. Não existe nada, o lixo entra em aterro só para estatistica, depois sai novamente. Todo o escandalo que esta a verificar nas sucatas de ferro, passasse a mesma coisa nos outros lixos. Por favor investiguem, vão para o meio da reciclagem e falem com as pequenas empresas, que elas dizem muito bem aquilo que se passa, liguem para as empresas de recolha de residuos e perguntem se tem plastico para venda. Vão aqui ao lado de Vilar formoso e vejam os camiões portugueses a deixar lá ton de material que vem de portugal. Esta á vista, e é só publicar...

Comentário enviado em 2009-09-23 às 10:19:06

 

SCARAMANGA

A SPV apenas serve para encher os bolsos a meia duzia de gestores, pois realmente são as empresas que pagam os custos inerentes a cada embalagem que colocam no mercado para posterior recolha. O modo como uma empresa pertencente a SPV esta em dificuldade é de facil leitura é apenas ver o gasto feito com anuncios, quando realmente o trabalho de recolha é feito pelas camaras municipais a custo proprio , enquanto a SPV enche os bolsos atraves dos pagamento feitos pelas empresas (dinheiro não enviado às camaras municipais). O problema politico resume-se aos governos que estiveram no popder e implementaram esta situação leia-se "PSD, PS". O negocio do ambiente foi sempre mal equacionado desde a sua implementação pois o meta é o lucro e não a preservacao do ambiente. Só quando um produto deixa de ser rentavel é que deixa-se de reciclar, e a preservacao fica na gaveta. A SPV é uma empresa de fachada para ganho de meia duzia de gestores.
Comentário enviado em 2009-09-23 às 10:16:41
 

FP

Em Portugal a reciclagem e o tratamento de residuos perigosos é uma farsa. As empresas apareceram em catadupa para pegarem no negócio da reciclagem, pois teriam acesso a matéria prima de borla, á conta do consumidor, mas com a crise que aì está deixou de compensar e já falam em deixar de recolher o material, pois não compensa. Na questão dos residuos perigosos, a que as empresas que os produzem, são obrigados a pagar a empresas, para lhos recolherem, senão sofrem grandes coimas, mas esses residuos são depositados nos aterros das empresas que os recolhem e não são trartados. Só que por ironia dos destino de vez em quando estes aterros são consumidos por incêndios. Estranho, pois não existem fontes de ignição nos aterros e nos materiais aí depositados. A reciclagem e a recolha de residuos perigosos em Portugal, só servem para algumas empresas lucrarem da maneira mais fácil, o resto fica tudo na mesma, tal como se fazia até aqui.Comentário enviado em 2009-09-23 às 10:27:45

 

smarques

Estes senhores da Ponto Verde andam a brincar com coisas muito sérias. Há cerca de 1 ano decidiram ( e bem) criar a categoria dos plásticos mistos, tendo-se os Sistemas preparado para fazer face a essa nova realidade, alguns deles aumentando o investimento em equipamento e meios humanos e agora avisam os sistemas que vão ter que acabar com os plásticos mistos, alegando problemas de falência? Alguém acredita nisto? O que andam os responsáveia da Ponto Verde a fazer? Incentiva-se a participação dos cidadãos na separação dos materiais para o cumprimento de metas que nos são impostas pela União Europeia e de repente já não há metas? O investimento que se fez nas campanhas de sensibilização á para deitar fora? O que é isto???? E os custos ambientais?????? Tenham vergonha meus senhores!! Se não servem para gerir dediquem-se a outra coisa mas não brinquem com quem anda a trabalhar e leva o seu trabalho muito a sério!!!Comentário enviado em 2009-09-23 às 10:11:30
 

ajpinheiro

Falencia, porquê? Tambem é umas das empresas que teêm, cerca de 4 a 5 gestores a ganharem mais de 30.000€ mensais, e ainda uns 40.000€ de premio, grandes carros topo de gama (Maserati; Ferrari, Bugatti e outros), já vi com os meus proprios olhos, e os colaboradores a levarem uns miseros 400€, pois é , e tambem teem de pagar as ditas taxas, juntamente com o consumo da agua, os euros não sao para todos, depois já se sabe, quando estao cheios, vamos lá abrir falencia! É de lamentar!...

Comentário enviado em 2009-09-23 às 09:58:14

 

antonio

falencia???? pois, o que os consumidores nao sabem e que para alem de serem empregados desses senhores, separando o lixinho para eles(mao de obra de borla), quando adquirem qualquer produto que seja, todos mesmo, estao a pagar para esses senhores, e que ha uns 10 anos, quando criaram a dita spv, com fins ambientais,todos os preços levaram com um aumento da taxa que em media as empresas tiveram de começar a pagar...compram a custo zero materia prima e vendem-na, recebem taxas( e nao sao assim tao baixas- em media uma empresa que nao mexa quase nada com materias tipo embalagens, cartao, vidro, pagam cerca 50 euros, 50x milhares de empresas= a milhoes) e estao falidos??????????

Comentário enviado em 2009-09-23 às 09:49:36

 

Isabel

A SPV em falência! Só podem estar a gozar! Onde param as taxas que as empresas têm de pagar para poder ter o simbolo do Ponto Verde nas suas embalagens? Reciclem os bolsos dos administradores e talvez lá se encontre o dinheirinho que pagamos. País de vergonha! São mais os que roubam do que os que trabalham. Cambada de gatunos, incompetentes, oportunistas é o que nos rodeia. Triste país este que nunca sairá de mediocridade.Comentário enviado em 2009-09-23 às 09:44:24

 

 

e CONTINUA....  Quem estiver interessado em ler mais comentários, poderá seguir o link no fim da notícia e depois terá acesso aos comentários. Os portugueses sabem o que se passa, esperemos que as autoridades actuem e façam justiça.

publicado por portuga-coruche às 10:39
link | comentar | favorito
Terça-feira, 22 de Setembro de 2009

Assaltos a alfarrobeiras lançam terror no Algarve

por JOSÉ MANUEL OLIVEIRA

Assaltos a alfarrobeiras lançam terror

Morte de jovem, há uma semana, fez aumentar insegurança entre moradores numa zona onde se produz, por ano, meio milhão de arrobas de alfarrobas. Cada uma vale quatro euros

Há mais de seis anos, a população da zona de Paderne, situada no interior do concelho de Albufeira, vive num ambiente de insegurança, sobretudo durante o mês de Setembro, devido a assaltos a moradias e terrenos agrícolas onde se encontram toneladas de alfarrobas. Com o homicídio de um jovem na semana passada, o medo cresceu e a GNR regista denúncias verbais, mas a maioria dos lesados nem apresenta queixa.

A morte do jovem André Paiva, de 19 anos, alvejado com dois tiros, um na cabeça e outro numa perna, há uma semana, no quintal da casa onde vivia, na zona de Cerro do Roque, após uma discussão envolvendo indivíduos de etnia cigana, quando cuidava do seu avô paterno, de 86 anos e acamado, contribuiu ainda mais para aumentar o sentimento de terror nesta época do ano.

Na altura, o rapaz defendia a propriedade de intrusos, na qual se encontravam guardadas 600 arrobas de alfarroba avaliadas em cerca de 36 mil euros. Desta vez, dali não foram levadas alfarrobas, mas, há dois anos, em consequência de um outro assalto, a família ficou sem 48 sacos, cada um com uma arroba daquele fruto seco.

O mais grave é que o homicídio, que está a ser investigado pela Polícia Judiciária, deixou naturalmente a família e os vizinhos arrasados.

"Tenho medo de chegar a casa e levar um tiro, mas nada podemos fazer. A polícia é que tem de apanhar quem cometeu o crime", diz ao DN Helena Paiva, mãe do rapaz que tinha concluído o 12.º ano e era futebolista do escalão júnior do Padernense.

Já Anatólio Cabrita, de 66 anos, que vive próximo da casa da vítima e que na segunda-feira à tarde (o rapaz foi encontrado morto pelo pai cerca das 18.20) viu movimentações suspeitas numa carrinha Ford branca de caixa aberta com um casal de etnia cigana e duas crianças, lembra ao DN que lhe foram furtados, no dia 5 deste mês, quando se tinha ausentado de casa para ir ao mercado de Paderne, "cinco sacos de alfarroba, um rádio que estava em cima da mesa e duas machadas para cortar carne. Também tinha amêndoas, mas não as levaram".

Por isso, Anatólio Cabrita, que possui um terreno em Cerro do Roque com cerca de mil alfarrobeiras, não exclui a possibilidade de vender já o produto "antes que me roubem, para não perder dinheiro".

"Os gatunos atacam normalmente durante o dia, quando não está ninguém em casa. Tenho uma caçadeira e vou estar de alerta a partir de agora", garantiu ao DN na altura da morte do vizinho.

Naquela zona vivem cerca de duas dezenas de pessoas em moradias dispersas. Na sua maioria, as casas estão desocupadas. A cerca de três quilómetros, junto à estrada no sítio Vale Pegas, Arménia Bacalhau, de 58 anos, reconhece ao DN que "é difícil controlar os assaltos às propriedades" com alfarrobeiras.

"Há muito que se suspeita dos ciganos e de existir um grupo receptor de alfarroba residente na zona de Tunes, aqui perto. Aproveitam a ausência das pessoas para assaltarem os terrenos. Nunca apresentei queixa na GNR. Mas de que vale a gente queixar-se?", lamenta aquela habitante.

Ainda recentemente ela e um outro morador acabaram por impedir um assalto a uma carrinha de um vizinho em plena estrada. "Estavam ali três ciganos que, quando nos viram, acabaram por fugir. Todos os anos há roubos de alfarroba nesta zona. Em 2008 valia cinco euros, agora vale menos", lembra Arménia Bacalhau, para quem os assaltantes acabam por vender o fruto mais barato.

Só em 2009, a GNR recebeu "uma meia dúzia de queixas verbais" sobre assaltos a propriedades com alfarrobeiras naquela zona do concelho de Albufeira, disse ao DN fonte do Comando Territorial de Faro. As queixas apontavam o dedo a indivíduos de etnia cigana, mas são "pouco consistentes, com nada de concreto", pelo que é difícil provar quem comete o crime.

Como o DN referiu na passada semana, o mês de Setembro é a altura ideal para colher alfarroba e o preço no mercado de um saco pesando uma arroba (15 quilos) é de quatro euros. Depois, poderá atingir os 4,5 euros ou até mais consoante a época do ano e a procura por parte dos interessados.

Este produto agrícola típico do Algarve é utilizado normalmente em rações para animais. Já o caroço costuma ser aproveitado na confecção de medicamentos, nomeadamente de xaropes.

Na zona de Paderne há cerca de um milhar de proprietários de terrenos com alfarrobeiras, as quais ultrapassarão as cem mil, a que corresponderá uma produção anual de meio milhão de arrobas de alfarrobas. Em média, uma árvore pode produzir cinco arrobas.

 

in DN

 

Esta notícia está directamente ligada com a morte de André Paiva, jovem de 19 anos.

publicado por portuga-coruche às 17:45
link | comentar | favorito

Três mil famílias passam fome

Crise: Instituições contabilizam um maior número de lares carenciados

 

O número peca por defeito, mas revela um aumento considerável dos casos de fome e miséria em Portugal. A Cáritas Portuguesa está a fazer um levantamento das situações mais dramáticas e, apesar de não ter ainda o trabalho concluído, já contou mais de três mil lares onde não se come um mínimo de duas refeições completas por dia.

 

Os distritos com mais casos de famílias a passar fome são os de Setúbal, Porto, Lisboa e Braga, onde os pedidos de alimentos aumentaram mais de 30 por cento nos últimos três meses.

"Apoiamos uma média de 200 famílias por mês e, nos últimos tempos, abrimos mais de uma centena de processos", disse ao CM Daniela Guimarães, da Cáritas do Porto, sublinhando que "está a tornar-se muito difícil arranjar alimentos suficientes para todos os pedidos que chegam".

Também José Carlos Dias, da Cáritas de Braga, nota que "são cada vez mais as pessoas que se dirigem à Cáritas a pedir roupa, comida e medicamentos".

"Os sinais que vemos no terreno são inversos aos da eventual recuperação económica de que ouvimos falar. Estamos a apoiar mais de 500 famílias e todos os dias deparamos com novos casos de grande necessidade", disse José Carlos Dias, acrescentando que, "para além dos alimentos, roupas e medicamentos, pedem-nos ajuda para pagar as rendas, a água e a luz e muitas vezes para fraldas e papas para os bebés".

Fonte da Cáritas Portuguesa disse ao CM que o levantamento das situações mais críticas deve estar concluído em Março de 2010.

"O PROBLEMA É O DESEMPREGO"

O bispo D. Carlos Azevedo, presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social, diz que "com empresas a fechar todos os dias é impossível inverter a tendência dos últimos tempos, de aumento de dificuldades para as famílias portuguesas". Lembrando que, desde finais de 2007, os índices de pobreza se vêm agravando no nosso País, o prelado alerta para o facto de a crise estar ainda muito longe do fim. "O problema é o desemprego, que afecta muitas vezes os dois membros do casal e que, de um momento para o outro, ficam sem meios de fazer frente às despesas, da alimentação, da casa, dos filhos, etc." De resto, uma das grandes dificuldades prende-se com o pagamento das prestações das creches e jardins-de-infância das IPSS, que registam cada vez mais casos de atraso ou mesmo de retirada dos filhos das instituições. Ao que o CM apurou, são mais de dois mil os casos de atrasos nos pagamentos nas creches das IPSS em todo o País.

"TENHO DE PEDIR PARA DAR PÃO AOS MEUS FILHOS"

Sandra (nome fictício) tem 36 anos, é casada e tem três filhos, de 4, 7 e 10 anos. Já não trabalha há quatro anos e o marido perdeu o emprego há oito meses. Desde Março que, duas vezes por mês, bate à porta da Cáritas, no Porto, para pedir ajuda. "Tenho de pedir para dar pão aos meus filhos. Eu já não tenho subsídio de desemprego e o único dinheiro que entra em casa é o do subsídio do meu marido, cerca de 500 euros. Para cinco pessoas, não chega a nada", diz Sandra, lembrando que é pouca a esperança de que as coisas melhorem. "Ao almoço os meninos comem na escola, mas, ao fim do dia, quando chegam a casa, vêm com fome e eu, mesmo com muita vergonha, peço para lhes dar de comer", explica. E, todos os dias, ela e o marido procuram trabalho.

APONTAMENTOS

CABAZ BÁSICO

Leite, bolachas, arroz, massa, feijão, açúcar, cereais, óleo e conservas fazem parte do cabaz que é distribuído às famílias na Cáritas Diocesana do Porto. A quantidade depende do tamanho do agregado.

POBREZA ZERO

Começa na quinta-feira, nos concelhos de Lisboa, Oeiras e Cascais, a campanha Pobreza Zero. A responsabilidade é da Plataforma Pobreza Zero e tem como objectivo a sensibilização para este fenómeno social. A iniciativa decorre até 18 de Outubro.

IGREJA SOLIDÁRIA

É um projecto da diocese de Lisboa que congrega todas as instituições de apoio social. Começou em Abril, mas está agora disponível na internet em www.igrejasolidaria.org.

LOJA SOCIAL EM BRAGA

A Associação de Famílias de Braga tenciona abrir em breve uma loja social na cidade. Carlos Aguiar, o presidente da associação, diz que a ideia resultou do grande aumento dos pedidos de ajuda que têm surgido.

Secundino Cunha
 
In Correio da Manhã

 

 

 

tags: ,
publicado por portuga-coruche às 11:38
link | comentar | favorito
Segunda-feira, 21 de Setembro de 2009

Sines cria figura de mediador municipal de etnia cigana

A Câmara Municipal de Sines vai dispor, entre 1 de Outubro de 2009 e 30 de Setembro de 2010, de um mediador municipal de etnia cigana, resultado da candidatura ao projecto Mediadores Municipais do Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural.



O mediador de etnia cigana, é do sexo masculino, reside no Bairro da Floresta e tem 28 anos e, de acordo com a CM de Sines, desempenhará as suas funções na câmara municipal e na escola EB 2,3 Vasco da Gama e serão desenvolvidas actividades com os projectos Rumos e À Priori.

O projecto terá como entidade gestora a Associação Sines Solidária, comparticipando o ACIDI com 75% do vencimento iliquido do mediador e a CM de Sines com os restantes 25% do vencimento.

O mediador terá como área prioritária, a educação, através de uma intervenção junto dos mais novos, com o intuito de valorizar a escola e a formação profissional como elementos indispensáveis para o seu desenvolvimento pessoal.

Diminuir em cinco por cento, o abandono escolar e o insucesso escolar por parte das crianças e jovens de etnia cigana; apoiar 60 por cento dos estudantes na concretização das suas tarefas escolares; encaminhar cinco jovens para a formação profissional e alargar a idade de frequência da escola de cinco por cento das raparigas estudantes e abranger 70 por cento da comunidade educativa em acções de sensibilização sobre a cultural cigana, são os objectivos do projecto que terá a duração de um ano.

Sines tem neste momento com uma população cigana estimada de 218 individuos e 39 familias.

Helga Nobre

 

in Site da Rádio Miróbriga

 

Sr. Presidente, Srs. Candidatos independentes e partidários, vejam este projecto, parece ser algo interessante. Existe muito que fazer na zona, no que refere à integração da etnia cigana. Isto é algo que é bom para ciganos e não ciganos e poderá ser um ponto de partida para a deminuição da deliquência, criminalidade e violêcia, excessos no consumo de drogas e de alcool que tem vindo a denegrir esta etnia e a criar conflitos entre ciganos e não ciganos. Muitos poderão dizer que não dará em nada, pode ser, mas mesmo uma grande viagem começa sempre com um pequeno passo.....

publicado por portuga-coruche às 16:30
link | comentar | favorito

.Janeiro 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Corte no abastecimento de...

. Novo estudo sobre toxidad...

. De olhos bem abertos

. GNR apanha ladrões de bom...

. 85% da divida foi gerada ...

. Continuamos à Espera

. Orientação Pedestre - Cam...

. Dakar Desert Challenge ap...

. Coruche acolhe caravana d...

. DIA EUROPEU DO ENOTURISMO...

.últ. comentários

Sr José Sá, já confirmou a sua tese? Obrigado
Eu uso os produtos da HerbaLife há anos e são fant...
Tudo é muito aberta e muito clara explicação de qu...
Ė e nāo e pouco....
Subscrevo, já cá temos miséria que nos baste, e ge...
Por ser nutricionista e' que fala assim...
http://www.publico.pt/economia/noticia/herbalife-i...
essa empresa foi vendida a eden , que pelo visto a...
Estou para comprar um carro usado num stand de Sal...
VAI SE FERRAR. .INGERI OS COMPRIMIDOS DE MULTIVITA...

.arquivos

. Janeiro 2016

. Setembro 2015

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

.tags

. abel matos santos

. acidente

. água

. águas do ribatejo

. almeirim

. apanhados

. aquecimento global

. assalto

. autarquia

. benavente

. biscainho

. blogosfera

. bombeiros

. burla

. câmara municipal de coruche

. carina

. cdu

. china

. ciência

. cigana

. ciganos

. clima

. climategate

. cobre

. comboio

. copenhaga

. cortiça

. coruche

. couço

. cp

. crianças

. crime

. criminalidade

. crise

. dai

. david megre

. desaparecida

. desaparecidos

. desemprego

. desporto

. dionísio mendes

. dívida

. douro

. droga

. economia

. edp

. educação

. emigração

. emprego

. energia

. ensino

. escola

. espanha

. etnia

. fajarda

. faleceu

. fascismo

. festas

. finanças

. fmi

. fome

. gnr

. humor

. imperialismo

. impostos

. insólito

. internet

. ipcc

. justiça

. ladrões

. lamarosa

. meteorologia

. mic

. miccoruche

. morte

. música

. phil jones

. pobreza

. política

. pontes

. procura-se

. racismo

. roubo

. santarém

. saúde

. segurança

. sociedade

. sub

. tempo

. ticmais

. toiros

. tourada

. touros

. trabalho

. tráfico

. tribunais

. video

. videos

. violência

. xenofobia

. todas as tags

.links

.Enviem Notícias e Comentários

CONTACTO

greenbit@sapo.pt

.pesquisar

 
blogs SAPO

.subscrever feeds